domingo, 1 de julho de 2007

Para você...

Essa sua presença assim, essencial-incômoda.
Seus olhos límpidos e misteriosos e ao mesmo tempo tão diretos.
Sorriso sempre aberto
Que desarma - e na sequência - arma.
Vai embora assim como aparece, de repente.
Os intervalos aumentam, e me atemorizam.
Não sei de ti, não tenho consciência do que se passa.
Bebi, fumei, ininterruptamente pensei em você .
Bagunço minha cabeça para tentar balançar a sua
E vou escrevendo essa carta...
Te peço para não responder.
Não responda
Apenas leia, engula tudo eu lhe disse e acene.
Verdades se esgarçando
Não, não faça isso.
Devaneios e delírios...
Contudo, há ainda espaço para toda a delicadeza e emoção dos atos sinceros?

6 comentários:

Mandão disse...

ê-eu
ajudê-ei
ê-eu
ajudê-ei
:D :D :D :D :D :D :D :D :D
ah, guria....memorável madrugada msn-ênica....memorável..........

jefferson disse...

Queria dizer algo, sobre o texto, mais esse me deixou sem saber o que comentar, me causou um sentimento diferente, não sei porque e olha que fui em uns 20 blogs hoje =\... Parabéns =P

Anônimo disse...

não sei mais quem eu sou
só sei que até o momento q vc não estava presente eu era insegurança, e um poço cheio de receios.
eu ainda sinto sua falta daquele dia e ainda choro sem entender porque.
me perdoa essa estranheza..
G...

Dani disse...

Amore,

sempre há espaço! E é por isso que o que escreveu é tão lindo!

Além das palavras, que enlaçadas umas às outras conseguem comover as pessoas, há o significado, sentido, sincero e verdadeiro.

Lindo, linda!

Love you so!

Beijo imenso.

Fripe disse...

Também não sabia q a sra escrevia!
^^
q ótimo!
saudade? nem fala! demais da conta!

=*

Lulu disse...

uau, menina.
uau.